segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Insegurança



O receio e a incerteza apoderam-se cada vez mais da minha pessoa.
Amor não se mede, mas a distância dói, tenho medo que enfraqueça nossos laços.
Um amor tão lindo, cumplicidade sem fim, fazem poucos meses que os nossos caminhos se cruzaram mas parecem anos, sem me questionar mais profundamente eu tenho a estranha sensação que sobre ti nada me é desconhecido, minha alma gémea, é contigo que eu consigo ser "eu", é contigo que eu sou feliz.
Amo-te de tal maneira que não há espaço para mais, até eu me assusto com a imensidão deste amor. Quando parece que não pode aumentar, eis que este me surpreende. Já não vivo sem ti, isto é uma relação de simbiose, preciso de ti para viver.
Trouxeste de volta algo que há muito não avistava, o sorriso no meu rosto, a felicidade na minha alma, que procura mil e uma maneiras de o demonstrar. Parece que vou explodir e, não poder soltar isto ao mundo ainda me deixa mais inquieto.
Eu confio em ti, cegamente, mas não me podes censurar, já me entreguei previamente e terminei com o coração despedaçado, normal que, agora a insegurança se alastre.
É contigo que quero passar o resto dos meus dias, mas se algum dia isto tudo acabar, fica ciente de que o amor que nutro por ti vai morrer comigo.

Sem comentários:

Enviar um comentário